Valor arrecadado com a venda do material é destinado às entidades cadastradas no programa, que são responsáveis pelo recolhimento das tampinhas.

O programa Tampinha Legal ultrapassou 200 milhões de tampinhas coletadas, gerando recursos financeiros para o trabalho de entidades assistenciais.

As entidades aprovadas no programa são responsáveis pelo recolhimento do material e já destinaram à reciclagem 360 toneladas de tampinhas plásticas, poupando recursos naturais e dando a destinação correta ao plástico.

Este é o maior programa socioambiental de caráter educativo de iniciativa da indústria de transformação do plástico na América Latina. Por meio da coleta de tampinhas plásticas, o programa promove a mudança de comportamento em relação aos descarte deste resíduo e ajuda entidades assistenciais cadastradas no programa, destinando para as organizações 100% dos recursos obtidos com a venda do material.

Lançado em 2016 na segunda edição do Congresso Brasileiro do Plástico (CBP), o programa ajuda mais de 400 entidades assistenciais e está presente no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Alagoas, Pernambuco, Distrito Federal e Goiás.

Para onde vai o valor arrecadado

As entidades usam os recursos que recebem pela venda do material reciclável para ajudar pessoas com deficiência, em situação de vulnerabilidade social, cuidar de animais abandonados, entre outras causas.

“Pequenas atitudes diárias levam a grandes resultados. Aprendemos a apagar a luz e a fechar a torneira. Estamos no momento de aprender a dar o destino adequado a esta matéria prima nobre que pode ser 100% reciclada, inúmeras vezes”, explica Simara Souza, coordenadora executiva do Tampinha Legal.

“Atingimos valores significativos que provam o quanto a sociedade está mudando seu comportamento. O Tampinha Legal proporciona sustentabilidade social, ambiental e econômica através da simples atitude de coletar tampinhas plásticas, caracterizando, então, o processo de Economia Circular”, completa Simara.

Fonte: Ciclovivo