O grupo fez a doação de 120 bombonas com tampinhas de garrafas pet no Instituto do Câncer Infantil

Com a intenção de aproximar os clientes e incentivar a solidariedade, bancas de jornais da Capital estão arrecadando tampinhas plásticas de garrafas pet para realizar doações em entidades beneficentes e assistenciais que integram o programa Tampinha Legal. O grupo é composto por donos e funcionários de bancas — que também consideram-se jornaleiros pela proximidade e venda dos jornais. No total, são cerca de 70 unidades espalhadas pela Capital.

— Começamos a juntar as tampinhas em novembro do ano passado e já realizamos três entregas. A última ocorreu no dia 30 de janeiro, no Instituto do Câncer Infantil (ICI). Conseguimos entregar 120 bombonas — conta Cristiano Fabricio Catelan, dono da banca da esquina da Avenida Assis Brasil com a Rua Tapajós, na Zona Norte.

 

Proprietária de uma banca na Avenida Assis Brasil, esquina com a Rua Edmundo Bastian, Isabel Catelan, 49 anos, irmã de Cristiano, conta que já arrecadava e doava tampinhas, mas decidiu levar a ideia para o grupo dos jornaleiros.

— Cristiano e eu pensamos sobre como todos juntos poderiam ajudar. É uma forma de melhorarmos nosso negócio com a participação dos clientes que passam todos os dias por aqui – afirma Isabel, e o irmão complementa:

— Aproximamos muitas pessoas que deixam o material na banca. Até as crianças já sabem do valor da doação e trazem suas tampinhas quando estão indo para a escola.

Contribuições 

Segundo Cristiano, a cada doação planejada, um dos participantes escolhe a instituição onde serão levadas as tampinhas:

— Na primeira, doamos para uma igreja. Depois, para a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan) e, por último, para o Instituto do Câncer Infantil. Queremos ajudar várias entidades, e não custa nada, pois a bombona não ocupa muito espaço.

Inspirados pela boa ação, os jornaleiros pensam em outras atividades, além da arrecadação das tampinhas.

— Pensamos em ajudar mais. Por exemplo, com a doação de sangue — conta Alexandra Nair Etchebarne Paz, 34 anos, proprietária de banca na Avenida Protásio Alves.

Segundo Cristiano, uma das próximas ações é a arrecadação de caixas de leite:

— Um dos integrantes do grupo nos informou que a Casa de Apoio Madre Ana precisa de leite. Já começamos a realizar a coleta e, assim que der, vamos entregar. A arrecadação de tampinhas continua.

Em breve, de acordo com Cristiano, o grupo dos jornaleiros de bancas terá divulgações na internet para pessoas interessadas em participar:

— Mas, para quem quiser ajudar, basta procurar uma das bancas em Porto Alegre e se informar.

PARA DOAR 

/// Tampinhas plásticas podem ser deixadas nas bancas de jornais em Porto Alegre.

/// São cerca de 70 bancas que arrecadam e repassam às instituições.

Como funciona

/// Toda sociedade pode participar, levando as tampinhas até os pontos de coleta (bancas que participam da ação).

/// As próprias entidades separam as tampinhas por cor — pois há diferenciação de valores. Se forem entregues misturadas, elas perdem valor agregado.

/// O reciclador compra as tampinhas. A entidade recebe o pagamento.

/// Após uma sequência de processos, esse material é vendido para a indústria e se transforma em outros produtos.

 

Fonte: Diário Gaúcho